Juan Bautista Rodríguez Aguilar (Madri, 1973)  é escritor, bibliotecário e tradutor. Interessado como sempre por tudo o artístico, estudou Pintura na Faculdade de Belas Artes, e Música no Conservatório de Arturo Soria, ambos em Madri. Atualmente trabalha como bibliotecário na Rede de Bibliotecas Públicas da sua cidade.

É autor de vários relatos, publicados em blogs, revistas e antologias literárias. O seu primeiro romance, “Umbrío, entre los muertos” (Sombrio, entre os mortos), foi lançado pela editora americana Trafford em 2008, junto com a trilha sonora original composta pelo músico Eduardo de la Iglesia. A edição espanhola de 2011 correspondeu a Éride e foi apresentada na Feria del Libro de Madrid, nesse mesmo ano. Em 2008, ganhou o XIV Premio de Contos do Ateneo de La Laguna com a coleção de histórias fantásticas “Cuentos de indagación y neurosis” (Contos de indagação e neurose), publicada pela Caja Canarias em 2010. Além disso, publicou outros dois romances com a Éride: a nouvelle “La rueda del extravio” (A roda do extravio, 2013), e “El berbiquí” (O berbequim, 2014).

Em parceria com a tradutora Bethania Guerra de Lemos, traduziu do português ao espanhol: a antologia “Cuentos de madurez” (Pre-Textos, 2011), do escritor brasileiro J. M. Machado de Assis (1839-1908); e o livro de poemas “Días insólitos” (Manuscritos, 2013), do poeta e diplomata Márcio Catunda (Fortaleza, 1957).

Seus romances abordam temas diversos, como a morte, a perda das vivências, as conexões familiares ou o mundo místico e espiritual; sempre com um leve tinte de fábula que os afasta da realidade. Nos seus contos, se deixa levar por assuntos de mistério, fantásticos, ou pelas suas particulares obsessões. Fica também interessado nos assuntos tecnológicos como elementos curiosos para armar as suas histórias.

 
 
© Juan Bautista Rodríguez